Zika: agentes grávidas são afastadas do trabalho externo

materia-agentes-gravidas-foto-sms17122015A decisão visa proteger ainda mais o público feminino

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) afastou agentes comunitárias e de Endemias grávidas das atividades de rua. A decisão visa proteger ainda mais o público feminino da possibilidade de contágio do Zika Vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti (responsável também pela transmissão da Dengue e da Febre Chikungunya). Desde o alerta de emergência, disparado pelo Ministério da Saúde no início do mês, a SMS procura alternativas de encaixar as gestantes nos locais.

Segundo explicou o coordenador da Rede de Atenção Primária (Reap), Murilo Oliveira, a decisão do secretário da SMS, Luciano Paz vem tranquilizar as gestantes e proporcionar a segurança necessária durante esse período. “As agentes continuarão trabalhando só que dentro das Unidades Básicas de Saúde, seja na realização de trabalhos administrativos, no acolhimento dos usuários ou no trabalho da recepção, tudo vai depender da necessidade de cada unidade. Para suprir essa demanda na rua, os demais agentes acolherão os cidadãos que seriam atendidos pela profissional afastada”, explicou.

O mesmo valerá para as agentes de Endemias, que trabalham no combate ao mosquito Aedes aegypti. De acordo com a coordenadora do Programa de Controle da Dengue de Aracaju, Taíse Cavalcante, os profissionais atuam em horários que o mosquito não age, porém, a ordem é cuidar ainda mais dos profissionais, com foco especial para as grávidas. “Teremos cinco agentes de Endemias afastadas que estarão aqui na sede da SMS fazendo trabalho interno. Dessa forma preservamos as mesmas anulando qualquer possibilidade de contagio da Zika”, disse.

Para Tatiana Possidonio Santos, o momento é de se preservar, em prol da saúde de seu bebê. Grávida de cinco meses, ela já começou a trabalhar na parte administrativa. “Assim que surgiram as primeiras informações fiquei apreensiva, fiz minha solicitação para afastamento de campo, mas não foi preciso, pois todas as grávidas foram direcionadas para outras áreas. Trabalho como Agente de Endemia desde 2009, e nunca apresentei nenhuma doença transmitida pelo Aedes aegypti. Ainda assim, me protejo de todas as formas, com roupas longas, produtos que afastam o mosquito e tela nas janelas do meu apartamento. Não podemos vacilar nesse momento tão delicado”, frisou.

Fonte: Ascom SMS

Check Also

Vacinação em Estância é ampliada para idosos acima de 65 anos 07/04/2021 às 07h02 Noticia ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.