Picciani diz que Temer está ‘pronto’ para assumir a Presidência

Segundo deputado, vice está ‘sereno’ com a possibilidade de assumir cargo.
Líder do PMDB negou que sigla tente favorecer Temer e proteger Cunha.

picciani

O líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani (RJ), afirmou nesta quarta-feira (27) que o vice-presidente da República, Michel Temer, está “bastante sereno” e “pronto” para assumir a Presidência nas próximas semanas.

Diante da possibilidade de assumir o cargo ocupado por Dilma Rousseff com o avanço do processo de impeachment no Congresso, o peemedebista passou a se reunir diariamente com parlamentares de diversos partidos, representantes de entidades de setores da economia, centrais sindicais e conselheiros políticos.

“O presidente Temer está bastante sereno, aguardando o desfecho da decisão do Senado[sobre o impeachment], se preparando para, se for o caso, e a decisão do Senado impuser que ele venha a assumir, ele está pronto para cumprir este papel com o país”, disse o líder, ao sair de reunião com Temer no gabinete do vice.

Picciani também afirmou que não há “conluio” do PMDB para que a presidente Dilma Rousseff seja destituída do cargo por meio do processo de impeachment. Picciani deu a declaração após ser perguntado se houve um “conluio” no partido para que Temer assuma o Planalto e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), seja “protegido” no processo ao qual responde no Conselho de Ética que pode levá-lo à cassação do mandato.

“Eu acho esta acusação absurda e posso falar isso muito à vontade porque votei contra o impeachment. Que conluio é este que um partido resolver fazer e libera seu líder para ficar em outra posição? Não houve nenhuma movimentação no PMDB nesse sentido. […] Esta carapuça não serve ao PMDB”, declarou Picciani ao deixar o Palácio do Planalto.

Recentemente, ao participar de um evento em Brasília, a presidente Dilma Rousseff afirmou, sem citar diretamente os nomes de Temer e Cunha, que é alvo de “farsa” e “traição” cometidas pelos “chefe e vice-chefe do golpe”.

Embora a maioria da bancada do PMDB tenha votado de forma favorável ao impeachment da presidente, Picciani foi um dos parlamentares da legenda que se posicionou contra o afastamento de Dilma. Segundo ele, o encontro com Temer nesta quarta serviu para que os dois pudessem “trocar impressões” sobre o atual cenário político.

Check Also

Pré-candidato a vereador Claudio Jornalista (PSC) defende projeto que institui CNH popular em Estância

     “Para as camadas mais pobres da população a Carteira Nacional de Habilitação – ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.