Canindé – Prefeito Ednaldo Barros concede primeira entrevista após volta ao cargo

 

 

Na primeira entrevista após retomar o cargo de prefeito de Canindé de São Francisco, Ednaldo Barros (PP) não poupou palavras para falar sobre família, amigos, política e como será os rumos daqui em diante assumindo mais uma vez o posto de prefeito de Canindé. Segundo Ednaldo lugar onde não deveria ter saído. “Claudio de a Cesar o que é de Cesar”, relata.

Embora por diversas vezes tenha pregado que evitará adotar a vingança como critério administrativo, Ednaldo alfinetou os antigos aliados.

Sem citar especificamente o episódio, Ednaldo criticou a comemoração feita por muitos que o rodeavam se dizendo amigo e que na decisão que o afastou, imediatamente nas redes sociais se manifestaram, muitos usando palavras ofensivas que não conduz a um cidadão de bem. Esqueceram rápido que um dia eu dei meu ombro amigo, que um dia minhas portas estavam abertas, que como todo mundo, temos falhas, mais a política não é para separar os amigos e sim juntar, com um só proposito, trabalhar para o bem comum.

 

“Você nunca pode tripudiar quando alguém está em uma cama de hospital, quando a pessoa está reclusa. Não pode comemorar reclusão de ninguém para alcançar outros objetivos. Para ser um grande político você precisa ser um grande ser humano. Tem de gostar das pessoas. Isso tudo é passageiro. Fui eleito por quatro anos, poderei ser reeleito se assim for a vontade do povo e de Deus. Não quero alcançar objetivos tripudiando ou comemorando o insucesso de outros”, disparou Ednaldo.

“Respeito muito os vereadores. Não tenho problema com a Câmara eles fizeram a parte dele, são fiscalizadores do povo. Não tenho raiva nem mágoa. Voltei com o coração limpo.”

Ednaldo ficou 40 dias afastado da Prefeitura de Canindé período que se iniciou no dia 27/09, quando ele foi afastado, com retorno no último dia 07/11.

 

Foram várias as vezes que Ednaldo garantiu que não governará mais com o coração. “Retorno com um novo com um novo desejo que as pessoas entendam que voltamos agora mais amadurecido, não usando o coração, agora vamos fazer agora sofrer o fígado, governar com o fígado, infelizmente agir com o coração a razão ficou lá em baixo e esse coração não nego, causou um prejuízo enorme para gestão e causou um prejuízo enorme no emocional. Não venho com ódio ou vingança. Volto com um novo formato. Vai doer vai criar mal esta mais eu preciso pensar nas consequências futura, questão de sobrevivência. A vida nos ensina muito quando agente cai. Confesso que deixei de ouvir o Tribunal de Contas, que sempre alertou, pedindo para rever a folha de pagamento, que as perspectivas para o município não é nada agradável”, ressaltou Ednaldo, sem, portanto perder a oportunidade de questionar as atitudes de muitos nesses dias ausente da administração.

 

 

“Minha grande missão nesse retorno é colocar a folha de pagamento do município em dias. Não é governo de família, de um grupo. Sou prefeito de Canindé legitimado pelo povo, sou comerciante e torço para que o próximo prefeito que assumir dê certo. Sei que muitos me tacharam de incompetente, sem compromisso com o município, falta de planejamento, e te digo Claudio, nada disso condiz com o meu perfil. Claudio se não tiver o combustível para você se planejar o seu projeto não vai sair do papel. Tenho 35 anos que moro em Canindé. Sou morador da velha Canindé, vi crescer e se desenvolver o município, pena que ele não me deu condição de fazer o melhor por ele. Cheguei solteiro, abrir a primeira Farmácia, abrir a primeira loja de confecções, só tenho a agradecer muita a Deus e ao povo de Canindé por tudo que fizeram por mim.

 

 

 

Situação Econômica hoje:

“A situação econômica da cidade nunca foi fácil em minha gestão. Canindé já teve uma receita de quase 16 milhões, são números, não críticas. Não fiz política de transferir responsabilidade. Hoje não chega a 8 milhões. Em vez de arrumar desculpa, procurei trabalhar”, citou.

O Progressista argumentou que, por estar há algumas horas de volta a Canindé, não conseguiu tomar pé de todas as decisões administrativas da gestão do interino Weldo Mariano. “Só sei o que li na imprensa.”

 

FAMILIA

 

 

Ainda na entrevista, com lágrimas nos olhos, Ednaldo Vieira disse que sua família sempre o apoiou, tenho um grande amor pela minha família e por tudo o que vivi e aprendi com eles. Daria tudo para vê-los sempre bem e unidos. Não há dinheiro no mundo que pague esse bem-estar, que consiga medir a importância de ter um lar com pessoas que querem vê-lo sempre sorrindo. Agradeço a Deus pela família que tenho, minha esposa meus dois filhos.  Na política eu estou contra a vontade deles, minha família de Delmiro nunca aceitou minha entrada na política. Jorge Luiz sempre quis que um dia eu fosse prefeito, pena que não alcançou. Sempre fui homem de grupo, do mesmo palanque. Sempre

 

Saiu da politica

“Saiu da política triste, tenho me deparado com pessoas maldosas mal-intencionadas que vivem da política para denegrir, para macular a história de pessoas de bem. Amo esse município. Trinta e Cinco anos uma história construída com muito amor, honestidade e dedicação. Poderia ir à reeleição, mais não vou. Não vou participar mais diretamente da política. Darei minha contribuição de outra forma. Fico triste pelas pessoas que ousaram tentar macular nossa Imagem nossa moral, deixaram de lado nossa amizade de anos, por questões ideologias.

 

 

 

Se arrepende de alguma coisa?

Não me arrependo de nada. O Hotel era inviável seu funcionamento, tirávamos do tesouro para completar a folha dos funcionários. Ninguém teve coragem de fechar, mesmo sabendo que estava dando prejuízo uma folha de quase 30 mil. Temos a intenção de leiloar o hotel. Tínhamos um contrato escolar de 450 mil. Hoje o município executa o mesmo serviço pela metade do preço 200mil. Tínhamos merenda escolar de 450 mil hoje fazemos por 100 a 150 mil.

Tínhamos limpeza de rua de 300 mil hoje se faz por 110 mil. Então eu tive coragem de rever tudo isso. Peguei 30 casas de alugueis que a prefeitura pagava com valores absurdos ente 4 mil a 6 mil e baixamos alguns para 2 mil  . Fizemos um remanejamento e deu tudo certo. Economizamos muito. Veja, então mexemos com os interesses de muitos. Entrei com FPM zerado e com um debito de INSS impagável algo em torno de 150 milhões hoje corrigidos diariamente. Pena que Canindé deixa de receber recursos federais.

 

Considerações Finais

Agradeço sua atenção, a maneira como você faz o jornalismo em nosso estado. Fico feliz e desejando dias melhores para nosso município.

 

 

 

Check Also

Joselildo Almeida (PANK) lança pré-candidatura de Hugo de Pank a vereador de Canindé

 Joselildo Almeida (Solidariedade),vereador e pré-candidato a prefeito de Canindé, já elegeu seu sucessor. Além de ...