Projetos de Lei garantem subsídios e progressão de carreira aos policiais e bombeiros militares

exto garante mudança do valor da bolsa, permitindo que mais de 357 alunos possam ingressar no curso de formação da PM
 
Fotos Marcelle Cristinne
Mais fotos aqui.

Os militares de Sergipe alcançaram nesta terça-feira, 08, por meio do Governo do Estado, vantagens históricas com relação à progressão por tempo de serviço e ao pagamento de subsídios. Por meio do Projeto de Lei aprovado hoje pela Assembleia Legislativa (Alese), 1.874 praças e 70 oficiais serão promovidos em 2017, e muitos mais alcançarão novo posto automaticamente todos os anos. Outros benefícios para a categoria versam sobre alteração da Grae e aumento do valor pago, fixação de 36 horas semanais de trabalho, acréscimo nos pagamentos da ajuda de custo, seguro de vida e invalidez e auxílio funeral. O subsídio, parcela única de vencimento, garante a manutenção dos direitos que a classe militar tem hoje, de modo que ficam assegurados os direitos ao posto superior, gratificação por tempo de serviço e a periculosidade.

Para o secretário de Estado da Segurança Pública (SSP), João Batista, os Projetos de Lei são a demonstração que o governo prioriza o setor e valoriza os miliares(policiais e bombeiros) em Sergipe. “As propostas são avanços muito grandes compreendidos em um curto espaço de tempo. Elas correspondem a um anseio que a categoria mantém há décadas. No caso da progressão de tempo de serviço, esta é fundamental. O maior desejo de um militar hoje é ser promovido, e com o Projeto de Lei o Estado resolve questões históricas”, destacou, acrescentando que outra grande vantagem das propostas é a garantia da segurança remuneratória para quem segue para a reserva.

O Projeto de Lei cria a progressão por tempo de serviço para policiais e bombeiros. O ato de promoção ocorrerá todos os anos nos dias 25 de abril e 25 de agosto. Os profissionais serão elevados exatamente ao posto/graduação imediatamente superior caso atendam a requisitos de tempo de serviço correspondente ao disposto em Lei. Por exemplo: para o posto de 1º tenente dos Quadros de Oficiais Policiais Militares (QOPM) e de Bombeiros Militares (QOBM), o 2º tenente deverá ter cumprido três anos de serviço nesta patente.

A promoção duas vezes ao ano levará em consideração o percentual de 25%, em cada oportunidade, do efetivo previsto em cada posto. A Lei também proporciona que o tempo máximo de permanência em cada graduação, além do interstício, seja de dois anos. Se houver vaga para que haja promoção de um militar em período inferior a dois anos, ela será ocupada.

Outro detalhe contido no Projeto de Lei é que a promoção por tempo de serviço adotará os mesmos dispositivos, requisitos e condições das progressões pelo critério de antiguidade e merecimento constantes do Estatuto dos Policiais Militares do Estado de Sergipe, do Decreto de Promoção de Graduados, das Leis de Promoção de Oficiais e de Cabos e Soldado, e seus respectivos regulamentos.

A Lei da progressão entra em vigor na data de sua publicação, revogando as disposições contrárias, inclusive às contidas na Lei nº 2.066, de 23 de dezembro de 1976.

Subsídios

A conhecida Gratificação de Atividade em Eventos (Grae) será transformada em Retribuição Financeira Transitória pelo Exercício de Atividade Extraordinária (Retae) em 2017, permitindo que cabos e soldados recebam valor duas vezes e meia maior que o anterior. Ou seja, se atualmente os profissionais recebem R$ 80, com a aprovação do Projeto de Lei o valor será de R$ 200. Cada policial poderá receber até dez Retaes por mês. Haverá auxílio uniforme no valor de R$ 1.700 e beneficiará todos os oficiais e praças da PMSE/BMSE.

Segundo o deputado estadual e líder do governo na Alese, Francisco Gualberto, o projeto de lei traz diversos avanços para a categoria. “O policial militar passar a ter subsídio como forma de remuneração, desaparecendo a possibilidade de perdas na sua aposentadoria de algum recurso”, afirma.

Os avanços nas carreiras dos policiais não ocorrem apenas no próximo ano. Para 2018, estão previstas a definição de 36 horas semanais, ou 180 mensais, como carga horária de trabalho. A novidade atingirá todos os oficiais e praças da Polícia Militar e dos Bombeiros. A ajuda de custo para diversos postos de trabalho, paga, por exemplo, quando há transferência do domicílio de atuação do militar, também é alterada, conforme a Lei. Um soldado, 1ª classe que atualmente recebe R$ 207,43, passará a receber em 2018 a quantia de R$ 459,94. Já no caso de um coronel, a diferença entre o valor atual e o novo é superior a R$ 1.000.

Para 2018, o Projeto de Lei ainda prevê adicional de convocação, de modo que há aumento médio de 40% para todos os postos e graduações. O benefício será para os oficiais e praças convocados para a PMSE/BMSE. No caso de um 2º tenente, por exemplo, o valor atual é de R$ 1.282,81 e o valor proposto para 2018 é de R$ 2.032,64.

No caso do seguro de vida e invalidez, os valores, segundo o Projeto de Lei, receberam aumento de 400%. Se o primeiro auxílio era de R$ 15.000, ele passa a ser de R$ 60.000. No caso de invalidez, o valor passa de R$ 7.500 para R$ 30.000. As alterações beneficiam familiares de todos os oficiais e praças da polícia e do Corpo de Bombeiros a partir de 2018. Já o auxílio funeral teve aumento de 500%, e subiu de R$ 876,05 para R$ 4.426,55.

O Projeto de Lei dos subsídios entra em vigor na data de sua publicação, produzindo seus efeitos a partir de 1º de abril de 2018, salvo para fins do previsto no art. 6º desta Lei Complementar.
O texto aprovado nesta terça contempla ainda a emenda do Executivo, negociada entre o governador Jackson Barreto e o deputado estado Capitão Samuel, que estabelece a exigência de nível superior para participar de concursos da Polícia Militar. O deputado disse que o momento era especial e que muitos outros pontos relacionados aos militares serão discutidos posteriormente.

“Neste momento, agradeço ao governador Jackson Barreto que, durante todo o tempo, facilitou as negociações e colaborou para abrir o diálogo. O subsídio garante os direitos que a PM tem hoje”, salientou o parlamentar, que destacou a correção do fluxo de carreira como uma das principais conquistas. Sobre a exigência do curso superior, o deputado disse que o projeto é inovador, ‘é único entre as polícias do país’.

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Marcony, também comemorou a aprovação. “Em nome da Corporação, registro o nosso sincero agradecimento a todos que ajudaram nessa luta: comissão chefiada pelo Coronel Paiva e, em especial, ao  secretário de Segurança, João Batista”.

————————————————–
Secretaria de Estado da Comunicação Social
Governo de Sergipe
Contato: (79) 3225-9800
————————————————–

Check Also

Natal de Resgate leva esperança e alegria para internas do Presídio Feminino

A emoção tomou conta de 120 internas do Presídio Feminino (Prefem), em Nossa Senhora do ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.