Eliane Aquino dialoga com trabalhadores da rede intersetorial do Santa Maria e 17 de Março

Enxergar para além das dificuldades e encontrar os melhores caminhos de maneira conjunta e com foco na intersetorialidade. Como forma de buscar alternativas para um melhor atendimento à população mais vulnerável, dando voz e vez a quem vivencia a comunidade em seu dia a dia, a vice-prefeita e secretária municipal da Assistência Social de Aracaju, Eliane Aquino, juntamente com integrantes da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), participou na tarde desta terça-feira, 7, de um encontro com gestores e trabalhadores de várias secretarias que atuam diretamente nos bairros Santa Maria e 17 de Março, localizados na Zona de Expansão da capital.
“Esta conversa de hoje já faz parte do plano de ação do nosso planejamento estratégico, onde a Assistência se une às outras secretarias para gerar este diálogo baseada na intersetorialidade, que é uma marca da nossa administração. Estes são bairros que estão na lista dos prioritários para que possamos criar ações de inteligência para diminuir os fatores de criminalidade, analfabetismo e outras questões que acabam levando à vulnerabilidade social”, salientou Eliane Aquino.
A vice-prefeita e secretária da Assistência Social ainda explicou que para esta nova etapa da execução do projeto, a ideia é pensar os bairros através do olhar destes profissionais. “A partir desta catarse, cada um de nós poderá enxergar o serviço integrado, não como uma caixinha e cada um com sua parte. Devemos pensar no que é que este trabalho pode ajudar no cotidiano, pois isto vai melhorar a vida da sociedade em termos de desenvolvimento.”
De acordo com a assessora de Planejamento da Assistência, Shirley Dantas, este é um momento de união de forças em prol dos territórios. “Esta é uma atitude necessária para que possamos potencializar as nossas ações, já que as secretarias tinham como hábito trabalhar de forma fragmentada e isolada. Este é o mote que nos une. Assim os gestores e trabalhadores locais concretizam as políticas públicas com mais eficácia. Junto a nós tivemos aqui presentes integrantes da Saúde, Educação, Desenvolvimento Econômico, Defesa Social e Cidadania, Cultura e Fundação do Trabalho. O intuito é que esses esforços se voltem com o intuito de amenizar as fragilidades”, destacou.
A coordenadora do Programa de Saúde da Mulher da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Cristiane Ludmila Borges, também reforçou o discurso da unificação.“O nosso discurso precisa ter uma fala única e temos que reconhecer isso. Eu acredito que assim que diante desta formação e junto com a comunidade poderemos estar construindo espaços de formação para que cada ator social compreenda que, afinal, somos um coletivo”, ressaltou.
Metodologia da escuta. Para a assistente social e psicóloga do Centro de Estudos de Terapia e Abusos de Drogas (Cetad) da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Patrícia von Flach, este tem sido o passo mais correto para trilhar os melhores caminhos a serem seguidos pelo poder público na tomada de decisões. “Todo trabalho que vai ser construído precisa ser feito a várias mãos. Eu poderia dizer que este é um primeiro momento de contato e sensibilização para o reconhecimento da importância que estes trabalhadores têm, identificando potencialidades que precisam ser melhor organizadas. O objetivo final é trabalhar no reconhecimento, para que este território tenha uma identidade mais positiva ao final do processo.”
Santa Maria e 17 de Março
Aracaju, segundo dados de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), possui uma população de 650.106 habitantes, sendo deste total 33.475 pessoas residentes na região, distribuídas em 9.272 domicílios. Considerado como o local de maior índice de concentração de pobreza da capital, os distritos carregam consigo dados que apontam um baixíssimo índice de renda domiciliar per capita, grande quantidade de pessoas que declaram não saber ler e escrever, moradores em sua maioria mulher e jovem, além de altos índices de violência.
Atualmente, 24.413 pessoas e 9.528 famílias estão inscritas no Cadastro Único e pertencem ao Santa Maria. Já no 17 de Março, os números apontam para 5.221 pessoas e 2.125 famílias que fazem parte do cadastro. Quando o assunto é o recebimento do Bolsa Família, 15.082 pessoas e 4.856 famílias usufruem do benefício. No 17 de Março a ajuda do Governo Federal é repassada para 3.449 pessoas e 1.055 famílias. As informações foram constatadas no levantamento do Planejamento Estratégico da Gestão Municipal 2017-2020, apresentado no último dia 26 de outubro.
2 anexos

Check Also

Natal de Resgate leva esperança e alegria para internas do Presídio Feminino

A emoção tomou conta de 120 internas do Presídio Feminino (Prefem), em Nossa Senhora do ...