“A classe política tem tratado Sergipe como um oásis”, declara presidente estadual do Patriotas à Rede Xodó

Nesta segunda-feira,16, o Jornal da Xodó entrevistou de maneira exclusiva, o empresário, membro do Fórum Brasileiro de Direitos Humanos e recém empossado presidente do Patriotas em Sergipe, João Nascimento. Na ocasião, João Nascimento que é um defensor de uma maior efetividade no combate à corrupção que se impregnou no Brasil, declarou aos âncoras Welder Ban, Tony Filho e Eduardo Carvalho que a corrupção é a grande assassina dos movimentos sociais. “A corrupção deve ser combatida de forma permanente. O Ibope destacou que a população quer um político honesto. Independente do partido, todos os políticos deram suas contribuições positiva ou negativa para o cenário que temos hoje. Chegou a hora de passarmos um pente-fino na política. Aqui em Sergipe, tivemos um caso onde ficou claro que não estamos preparado para combater tal câncer social. Tendo em vista que a delegada Danielle Garcia que fazia um grande trabalho à frente da Deotap foi transferida para a Barra dos Coqueiros como forma de punição”, observou.

Questionado sobre como avaliava a condenação do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT), Dr. João mostrou-se preocupado com a adoção de dois pesos e duas medidas no combate à corrupção, uma vez que quando relativas ao ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, foram tratadas como questões eleitorais. “A questão do Luís Inácio Lula da Silva deve ser analisada com muita cautela. O que me traz incerteza é o fato do judiciário estar divido. Sendo assim, subserviente às indicações. Vale lembrar que o STF vem passando uma imagem dúbia à sociedade. Atualmente vejo que o sistema político está corroído e assim, todos possuem manchas de corrupção. É um absurdos mantermos paixões políticas e assim adotar os mesmos critérios para todos”, afirmou.

Perguntado sobre qual caminho o Patriotas irá seguir em Sergipe, João declarou ser favorável à uma candidatura própria tendo em vista que segundo ele,  os que se lançaram pré- candidatos até o momento,  indicam a manutenção de uma estrutura política que se reveza no poder há algum tempo. “Faz tempo que se acabou as definições de direita e esquerda e assim, verdadeiramente temos 35 vergonhas. para nós nesse momento só existe uma opção que é trilhar caminho próprio no primeiro turno e assim não iremos no aliar a nenhum destes candidatos. Todos trazem discursos envelhecidos e repetitivos. A classe política tem tratado Sergipe como um oásis. A eleição 2018 será diferenciada. O que mais me atraí não é o resultado das urnas, mas a discussão nos campos das ideias. Em 2018, teremos um pleito onde os aspectos individuais devem ser respeitados e assim devemos conversar com todos os grupamentos, mas temos um compromisso de conduzir o partido para que nossa legenda cresça”, pontuou.

Indagado como o Patriotas trabalha o nome de Emília Corrêa internamente, tendo em vista que a atual vereadora de Aracaju é  o maior destaque do grupamento, João Nascimento não indicou a qual cargo a parlamentar irá concorrer, no entanto indicou ser necessário aproveitar o momento e explorar o lado combativo de Emília.  “Foi uma alegria encontrar a vereadora Emília Corrêa na nossa legenda, que tem feito um grande trabalho na Câmara Municipal de Aracaju.  O que for melhor para o partido e para a parlamentar não mediremos esforços para conseguirmos. Particularmente defendo o nome dela para crescimento do partido”, observou.

Por fim, o presidente estadual do patriotas comentou o alto índices de eleitores que têm demonstrado desinteresse com o pleito vindouro e mostrou-se preocupado. “O mal não existe, o que existe é a omissão do bem. E do ponto de vista do eleitor é a pior opção que se pode fazer. Não participar do pleito é dar legitimidade a um político escolhido pela minoria”, indicou.

 

Por Daniel Villas-Bôas

Da redação Xodó News

 

Check Also

“Não havia espaço no governo”, diz Heleno Silva

“Em Toda ruptura existe efeito colateral”, disse Heleno Silva A afirmação do pré-candidato ao Senado, ...